Grupo entrega protetores faciais para atender profissionais da saúde e de áreas de risco

O CoronaVidas Hub MS/Dourados entregou nesta segunda-feira 4891 protetores faciais, face Shields para serem usados pelos profissionais de saúde que estão na linha de frente do tratamento de pacientes com Covid-19.

O CoronaVidas é uma rede de solidariedade que reúne mais de 16 instituições e empresas, que, trabalhando de forma colaborativa, tem como objetivo a doação de 30 mil faces shields à profissionais da área da saúde. Além de abranger também profissionais de outros setores, o grupo busca contribuir o enfrentamento da pandemia do novo Coronavírus. 

A primeira entrega aconteceu às 9 horas horas da manhã na Prefeitura de Dourados que recebeu 2150 protetores enquanto que uma hora depois na Unigran foram mais 2411 equipamentos destinados ao Nucleo Institucional de Promoção e Defesa dos Povos Indigenas e da Igualdade Racial e Etnica (Nupiir), órgão ligado a Defensoria Pública de Mato Grosso do Sul; 140 unidades para a 4ª Regional de Dourados da Defensoria Púbica de MS, que contemplará os municípios de Dourados, Caarapó, Deodápolis, Fátima do Sul, Glória de Dourados, Itaporã, Maracaju, Nova Alvorada, Rio Brilhante e Amambai. 
Foram entregues também 190 unidades de face shields para a proteção dos policiais penais integrantes da Agepen/MS, atendendo a Penitenciária Estadual de Dourados, Estabelecimento Penal de Regime Semiaberto Masculino, Estabelecimento Penal de Regime Semiaberto Feminino e a Unidade Assistencial Patronato Penitenciário. 

A iniciativa de trazer o projeto para Dourados foi da Defensora Pública Mariza Gonçalves, que buscou a parceria da BPW Dourados – Associação de Mulheres de Negócios, por meio de suas Comissões de Negócios e de Saúde, em conjunto com a Associação Leilodom e a 2ª Defensoria Pública do Consumidor de Dourados, para criar a rede CoronaVidas – Hub MS/Dourados. 

A Associação de Mulheres de Negócios e Profissionais – BPW Dourados presidida pela empresária  Evânia Ribeiro e a Associação Leilodom  sob a presidência da empresária Gisele Pedrozo são as entidades responsáveis pela captação e gerenciamento dos recursos.

O projeto CoronaVidas nasceu na Bahia, em abril, idealizada e coordenada pelos professores e pesquisadores Antônio Cordeiro, Fábio Barreto e Leandro Brito com a coordenação de comunicação da jornalista Fernanda Vasques Ferreira, tendo já se expandido por 15 cidades do país.

Para a concretização das ações do CoronaVidas Hub MS/Dourados, foi firmada uma parceria produtiva com a indústria douradense Quimiplast e com as seguintes instituições e empresas: Unigran, a Fiocruz – MS, o Instituto Federal de Mato Grosso do Sul (IFMS) – Campus Dourados, a Associação dos Municípios do MS (Assomasul), a Associação das Defensoras e Defensores Públicos de Mato Grosso do Sul (ADEP), a Adecoagro, a Cooperativa Sicredi, a União dos Legisladores e Legislativos Estaduais (UNALE), a Associação Sul-mato-grossense de Suinocultores do MS (Asumas), a Imobiliária Continental, a Usina Laguna, a Inflex – Industria de Embalagens. Contando também com o apoio da Secretaria de Estado de Saúde do MS e do Governo do Estado. 

A produção dos “face shields” é feita com a utilização de injeção de plástico, proposta desenvolvida na Bahia e que sensibilizou o empresário Wilson Marchesin, proprietário da Quimiplast, que abraçou a causa possibilitando a concretização desta ação com a produção de milhares de peças em bomba injetora de plástico para a confecção dos protetores faciais. 

O projeto também mobilizou a empresária Cecília Zauith, mantenedora da Unigran, que contou com professores e alunos que auxiliaram no preparo das viseiras e na embalagem dos milhares de face shields. Foi fundamental a parceria com a Assomasul, que forneceu todo material transparente (pet) para a produção dos primeiros 20 mil protetores faciais além do importante auxílio na logística e distribuição dos equipamentos.

Atualmente, os protetores faciais são considerados equipamentos de proteção individual (EPIs) importantes, particularmente para os profissionais de saúde da linha de frente no combate à COVID-19. 

O uso do equipamento, associado as máscaras faciais, aumenta de forma significativa a eficiência da proteção biológica no que tange a infecção pelo Sars-CoV-2, o novo Coronavírus e consequentemente ampliam as condições de segurança no trabalho. 

Ressalta-se também, que a expansão do uso dos protetores faciais para outros segmentos, tais como a área da segurança pública e outros setores de atendimento com amplo contato com o público, pode impactar, de forma positiva, na redução da transmissão comunitária. Os protetores faciais serão doados, atendendo a demandas dos 79 municípios do Estado. 
Serão destinados a unidades e instituições públicas e filantrópicas, prioritariamente do setor da saúde, além dos setores de segurança pública, assistência social e administrativo de atendimento ao público. Em um segundo momento, encontram-se em fase de construção, parcerias institucionais com entidades representativas para o atendimento do setor privado, também com prioridade para a saúde.

A coordenação geral do projeto é composta pela Defensora Pública de MS, Mariza de Fátima Gonçalves, pela empresária Ely Oliveira Semmelroth – Coordenadora da Comissão de Negócios da BPW Dourados e Diretora da Associação Leilodom e também pela médica Cristiane Iguma Câmara – Coordenadora da Comissão de Saúde da BPW Dourados. Na coordenação técnica, estão a doutora Ana Tereza Guerrero da Fiocruz – MS, o professor Fabiano Nagamatsu, da Unigran e o professor Evandro Faleiros, do Instituto Federal de Mato Grosso do Sul. 

Fonte: https://www.douradosnews.com.br/

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp