Em parceria com a Defensoria Pública Estadual, CoronaVidas Hub Dourados entrega protetor facial para Ponta Porã

A Prefeitura Municipal recebeu 750 protetores faciais

Na tarde desta quinta-feira (25), o projeto CoronaVidas Hub Dourados, em parceria com a Defensoria Pública Estadual entregou 1.406 protetores faciais (face shield) em Ponta Porã. O intuito é que os equipamentos auxiliem os profissionais da saúde e da segurança pública que estão na linha de frente ao combate do novo coronavírus, que já infectou 6.623 pessoas em Mato Grosso do Sul.

Parte dos equipamentos de proteção será encaminhada para outros municípios e os demais para instituições de Ponta Porã. A Prefeitura Municipal recebeu 750 protetores faciais. Já Aral Moreira receberá 50 máscaras, enquanto para o município de Antônio João serão destinadas 200 unidades.

Outras 57 unidades serão entregues para a Unidade Prisional Ricardo Brandão, 125 máscaras para o 4º Batalhão da Polícia Militar, 35 para a Unidade Educacional de Internação (UNEI), 32 para a Unidade Prisional Feminina, quatro serão para o Patronato, 13 serão encaminhadas para a Unidade Prisional Semiaberto, 30 para a Polícia Civil Regional e 50 para o Exército Brasileiro.

Também foram entregues 35 para a Unidade Educacional de Internação (UNEI), 32 para a Unidade Penal feminina, quatro para o patronato, 57 para a Unidade Penal Ricardo Brandão, 13 para a Unidade Prisional Seminaberto, 30 para a Policia Civil Regional, 125 para o 4º Batalhão da Polícia Militar, 30 para o Departamento Estadual de Trânsito de Mato Grosso do Sul e 50 para o Exército Brasileiro.

Os protetores faciais são equipamentos de proteção individual (EPIs), importantes para os profissionais de saúde da linha de frente, bem para aqueles servidores que tem contato direto com o público. O uso associado às máscaras faciais aumenta de forma significativa a eficiência da proteção contra o novo coronavírus. A expansão do uso dos protetores faciais para outros segmentos, como a área da segurança pública e outros setores de atendimento também podem impactar na redução da transmissão comunitária.

Parceiro do CoronaVidas Hub Dourados, o defensor público, coordenador da Regional de Ponta Porã, Lucas Pimentel vê a união da Defensoria Pública com demais empresários que fazem parte do projeto extremamente significante para a sociedade, “a importância é a proteção individual dos trabalhadores da saúde do nosso município que estão à frente do combate ao coronavírus”.

A implantação do HUB MS/Dourados da rede CoronaVidas teve início em abril  de 2020 e a primeira distribuição foi efetivada no dia 1º de junho. A rede de solidariedade CoronaVidas em Mato Grosso do Sul é composta por mais de 20 instituições e empresas parceiras que trabalham de forma colaborativa, com o objetivo de produzir e doar mais de 35 mil face shiels, à profissionais da saúde que atuam na “linha de frente”, e também à outros setores de amplo contato com o público ou de maior risco de contaminação, em todo o Estado do Mato Grosso do Sul.

Implantação do CoronaVidas Hub Dourados em MS

A implantação do HUB MS/Dourados da rede CoronaVidas foi uma iniciativa da jornalista Fernanda Vasques Ferreira, filha de douradenses, e  através da atuação de um grupo de trabalho que tem a Coordenação geral da Defensora Pública Mariza Gonçalves, da empresária Ely Oliveira, Coordenadora da Comissão de negócios da BPW Dourados e Diretora da Associação Leilodom, e da médica Cristiane Iguma, Coordenadora da Comissão de Saúde da BPW Dourados;  contando com a Coordenação técnica da Pesquisadora Ana Guerrero da FioCruz MS, do Professor Fabiano Nagamatsu da Unigran e do Professor Ivandro Faleiros, do Instituto Federal de MS. A Coordenação de Comunicação está a cargo da publicitária Maria Antônia Ribeiro e da jornalista Irma Lupinetti.

Prefeito Hélio Peluffo Filho, em entrevista ao Pontaporainforma, fez um agradecimento especial

Parceiros do projeto CoronaVidas Hub Dourados

A união de esforços que possibilitou que os milhares de face shields fossem produzidos foi possível através de uma parceria produtiva com a Indústria douradense Quimiplast e com as instituições e empresas: Defensoria Pública de Mato Grosso do Sul, Associação de Defensoras e Defensores Públicos de Mato Grosso do Sul, Usina Laguna, Associação dos Municípios de Mato Grosso do Sul (Assomasul), Instituto Federal de Mato Grosso do Sul (IFMS), Imobiliária Continental, Associação Leilodom, Associação de Mulheres de Negócios e Profissionais – BPW Dourados, Centro Universitário da Grande Dourados (Unigran), Cooperativa Sicredi, , Inflex Industria e Comércio de Embalagens, Fiocruz – MS, Adecoagro, São Bento Incorporadora, Secretaria de Estado de Saúde (SES), Ambientec Dourados, JBAPe – Jarbas Barbosa Agricultura e Pecuária, Associação Sul-Mato-Grossense de Suinocultores do MS (Asumas) e Biosul – Associação dos Produtores de Bioenergia de Mato Grosso do Sul. Além de contar com o apoio dos deputados estaduais do MS através da União dos Legisladores de Legislativos Estaduais (UNALE), da Secretaria Estadual de Saúde e do Governo do Estado de MS.

Com o acompanhamento da Defensoria Pública de MS, que incentivou, colaborou e apoiou a implantação da rede no Mato Grosso do Sul, A BPW Dourados e a Associação Leilodom abraçaram esta causa deste o princípio, sendo as entidades responsáveis pela captação, gerenciamento e prestação de contas dos recursos destinados pelos parceiros.

Sensibilizado com o projeto, o empresário Wilson Marchesin, proprietário da Quimiplast, está produzindo, através da injeção de plástico, as milhares de peças, os arcos de fixação e dos suportes inferiores, necessários para a confecção dos faceshields. 

A empresária Cecília Zauith, mantenedora da Unigran, também abraçou o projeto e a instituição é responsável pelo corte e perfuração do material transparente (Pet) das viseiras dos faceshields, impressão dos manuais de utilização e embalagem dos protetores faciais. 

A Fiocruz MS e o Instituto Federal de MS, junto com a Unigran, realizam o suporte técnico- científico do projeto, sendo que os face shields produzidos respeitam todas as normas da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) e tem o parecer técnico favorável da Vigilância Sanitária do Estado de Mato Grosso do Sul.

A Assomasul foi fundamental para o projeto tendo fornecido todo o material transparente (pet) para a produção das viseiras dos primeiros 20 mil protetores faciais, além de apoiar na logística e na distribuição.

125 máscaras para o 4º Batalhão da Polícia Militar

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp